Bolsa de Emprego «on line»
para trabalho part-time


Por Vitor Andrade

Está ligado à Internet, ou pensa vir a ligar-se proximamente? Então talvez lhe interesse saber que este novo suporte de comunicação pode fazer de si um verdadeiro teletrabalhador.

De que forma? É simples. Caso esteja desempregado e ande à procura do seu primeiro emprego ou se, mesmo desempenhando uma actividade profissional, acha que tem disponibilidade para um trabalho em «part-time», a Bolsa de Empregos Tiadro (BET) propõe-se recrutá-lo para colaborador na área dos recursos humanos.

Na verdade, esta empresa especializada na gestão e comercialização de bases de dados está à procura de 2000 consultores para pôr de pé um projecto a que resolveu chamar «Network Bet». E o que é exactamente? «Trata-se de uma rede de pessoas que nós queremos ter a colaborar connosco, sendo formadas para o efeito, depois de recrutadas pela nossa equipa, e que terão por função ajudar a aproximar ainda mais os clientes actuais e potenciais dos serviços disponibilizados nas nossas bases de dados», explica Ana Santos, directora da BET.

Vale a pena recordar que a Tiadro constituiu uma bolsa de de empregos há cerca de um ano e que disponibiliza desde então através da Internet. Nesta bolsa, para além de ofertas de trabalho, podem ser encontrados também currículos vitae de várias origens profissionais, tendo já sido ultrapassada a barreira dos 16 mil CV. As consultas feitas pelas empresas são diárias e as solicitações têm sido de tal ordem que a Tiadro se viu na necessidade de criar a «Network Bet», por forma a poder dar uma resposta ainda mais rápida aos seus clientes.

Os primeiros consultores da rede a criar a nível nacional estão já a ser preparados e deverão iniciar a sua actividade no próximo mês de Novembro. No entanto, e segundo Ana Santos, só daqui a um ano e meio ou mesmo dois anos é que será possível ter em funcionamento a rede com os cerca de 2000 consultores que a Tiadro se propõe recrutar.

Que requisitos devem ser reunidos para se poder concorrer a esta rede de colaboradores?

Basicamente, e ainda de acordo com a mesma responsável, importa: «ter espírito de iniciativa, pois as pessoas não podem estar à espera de ser sempre comandadas por nós; ser ambicioso; muita vontade de trabalhar, visto que se trata de uma actividade que requer um certo esforço; bom comunicador; capacidade de liderança e, já agora, alguma experiência na área de vendas pois, afinal, também aqui se pretende vender um cojunto de serviços». Mas muito importante também, aliás, fundamental, é que cada candidato ao cargo de consultor tenha acesso a um computador e este se encontre ligado à Internet, como já foi referido atrás. É que esta será, na verdade, a principal ferramenta de trabalho. Ou melhor: desta forma de teletrabalho.

A idade das pessoas deverá variar entre os 25 e os 45 anos, mas não se trata de idades limites pois até é natural, segundo Ana Santos, que nos vários distritos onde a Tiadro se pretende representar apareçam pessoas com mais de 50 anos.

Em cada distrito deverão ser seleccionados cerca de 100 consultores, aos quais será sempre ministrada alguma formação incial, onde se explicará o que é a empresa, que serviços dispõe para comercializar e que filosofia de actuação pretende seguir. É assinado um contrato (não laboral) com cada pessoa, onde se esclarecem certas regras e formas de trabalhar e, de seguida, dá-se início à actividade. O trabalho de cada consultor será sempre supervisado por alguém da Tiadro.

A remuneração de cada colaborador funcionará em regime de comissões sobre a facturação mensal conseguida. Essas comissões variam entre os 30 e os 50 por cento, conforme os níveis de facturação conseguidos.

Informações complementares poderão ser obtidas via Internet através do endereço virtual www.betiadro.pt

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal