Cronologia das duas revoluções da Gestão

Meio Século em Revista

por Jorge Nascimento Rodrigues


A Emergência da Primeira Revolução da Gestão
A maior inovação institucional do capitalismo (a grande empresa - corporation, segundo a expressão americana) e a abordagem das características da sociedade de então:

  • 1946: Concept of Corporation, de Peter Drucker

  • 1951: The New Society, de Peter Drucker


  • O movimento da Qualidade (a primeira vaga)
  • 1951-52: Obras de Edwards Deming e Joseph Juran têm impacto no Japão


  • A gestão como doutrina e disciplina autónoma
  • 1954: The Practice of Management, de Peter Drucker (o manual de todos os tempos)


  • A ERA HERÓICA DOS HERÉTICOS

    A Escola das Relações Humanas (a primeira vaga dos heréticos)
  • 1946: Criação do National Training Laboratories for Group Dynamics, animado por Kurt Lewin. Outros personagens: Eric Trist, Charlie Krone, Lyman Ketchup, Ed Dulworth

  • 1954-59: A vaga de teorização por Abraham Maslow, Chris Argyris e Frederick Herzberg

  • 1960: The Human Side of Enterprise, de Douglas McGregor (o livro mais emblemático)

  • 1962-1972: Experiências no terreno com as "fábricas socio-técnicas" baseadas em "equipas" (primeira experiência na Procter & Gamble)

  • 1968: "Uma vez mais: como se motivam os empregados?!", artigo na Harvard Business Review (HBR) de Herzberg (o artigo mais solicitado até hoje na história da revista)

  • 1972: O sistema "socio-técnico" e as "equipas" (teams) transformadas em "novo modelo industrial", no artigo "Como combater a alienação na fábrica", de Richard Walton na HBR


  • A afirmação do marketing
  • 1960: "Miopia no marketing", artigo na HBR de Ted Levitt, o guru da área

  • 1962: Innovation in Marketing, de T. Levitt

  • 1967: Marketing Management, de Philip Kottler (considerada a bíblia)


  • A emergência da estratégia
  • 1962: Strategy and Structure, de Alfred Chandler

  • 1965: Corporate Strategy, de Igor Ansoff (considerado o pai do planeamento estratégico)


  • Os príncipes gestores
  • 1963: My Years with General Motors, de Alfred Sloan (a teorização da empresa multidivisional e da segmentação de mercado)

  • 1963: A Company and its beliefs, de Thomas Watson Jr. (filho do fundador da IBM)


  • A FRACTURA HISTÓRICA DOS ANOS 70

    A percepção da grande "fractura" histórica dos anos 70
  • 1968: The Temporary Society, de Warren Bennis (segundo Alvin Toffler o primeiro epitáfio ao modelo burocrático de Max Weber)

  • 1969: The Age of Discontinuity, de Peter Drucker (lançamento do conceito de "economia do saber" e dos fundamentos do movimento da privatização)

  • 1970: O Choque do Futuro, de Alvin Toffler

  • 1971: Criação do Grupo de Planeamento Estratégico de Cenários na Dutch/Shell em Londres, com Pierre Wack e Ted Newland

  • 1971-76: Emergência do conceito de sociedade pós-industrial, com Alain Touraine e Daniel Bell; boom da corrente futurista com o Stanford Research Institute e Herman Kahn

  • 1973: Small is beautiful, de Fritz Schumacher

  • 1974: Changing Images of Man, de Willis Harman e Oliver Markley (lançamento do conceito de mudança de paradigma)


  • O choque "japonês" e a segunda vaga da Qualidade
  • 1975: The Mind of the Strategist, de Kenichi Ohmae (publicação no Japão; tradução nos EUA em 1982)

  • 1979: Quality is free, de Philip Crosby

  • 1981: The Art of Japanese Management, de Richard Pascale e Anthony Athos

  • 1981: Theory Z, de William Ouchi

  • 1982: Out of the Crisis, de E. Deming (o regresso da Qualidade à América)

  • 1985: Planning for Quality, de J. Juran


  • As novas regras do jogo
  • 1978: Organisational Learning, de Chris Argyris e Donald Schon (os pais da "learning organisation")

  • 1980: A Terceira Vaga, de Alvin Toffler


  • A autonomização da estratégia
  • 1980: Competitive Strategy, de Michael Porter (o conceito de cadeia de valor e de vantagem competitiva)


  • O BOOM DA LITERATURA DE GESTÃO - O MANAGEMENT PARA AS MASSAS

    A popularização da gestão
  • 1982: Em Busca da Excelência, de Tom Peters e Robert Waterman (uma investigação feita entre 1979 e 1982)


  • As «buzzwords» ao ataque
  • 1982: Megatrends, de John Naisbitt (o baptismo das megatendências)

  • 1983: The Change Masters, de Rosabeth Moss Kanter (origem do «empowerment»)

  • 1984: Management Teams, de Meredith Belbin (o renascimento das "equipas")

  • 1985: Triad Power, de K. Ohmae (o conceito de tríade)

  • 1985: Organizational Culture and Leadership, de Edgar Schein (a cultura de empresa)


  • A EMERGÊNCIA DA SEGUNDA REVOLUÇÃO DA INFORMAÇÃO

    A "fractura" revolucionária na teoria da gestão
  • 1988: "O surgimento da nova organização", artigo de Peter Drucker na HBR

  • 1990: "Reengenharia do trabalho: Não automatize, elimine!", artigo de Michael Hammer na HBR (lançamento da reengenharia)

  • 1990: "As competências distintivas da empresa", artigo de Gary Hamel e C.K.Prahalad, na HBR
  • 1990: The Fifth Discipline, de Peter Senge (a recuperação da organização que aprende)

  • 1991: The Art of The Long View, de Peter Schwartz (o renascimento da escola dos cenários)
  • 1992: Liberation Management, de Tom Peters

  • 1993: Reengineering the Corporation, de James Champy e Michael Hammer

  • 1993: Maverick, de Ricardo Semler (Semco, a empresa revolucionária brasileira transformada em best-seller mundial)

  • 1994: Competing for the Future, de G. Hamel e C.K.Prahalad

  • 1994: The Rise and Fall of the Strategic Planning, de Henry Mintzberg

  • 1996: Jamming, The Art and Discipline of Business Creativity, de John Kao

  • 1996: "A estratégia como revolução", artigo de Gary Hamel na HBR (Artigo premiado como o melhor de 96 pela McKinsey Foundation)

  • 1996: "O que é a estratégia", artigo de Michael Porter na HBR (Artigo premiado com o segundo lugar para 96 pela McKinsey Foundation)


  • Pensar a nova sociedade (após a «Perestroika»)
  • 1989: The New Realities, de Peter Drucker

  • 1989: The Age of Unreason, de Charles Handy

  • 1991: Reinventing Government, de Ted Gaebler e David Osborne (a afirmação da gestão pública como vector estratégico de mudança)

  • 1993: Sociedade Pós-Capitalista, de Peter Drucker

  • 1994: The Age of Paradox, de Charles Handy (a popularização do paradoxo como algo saudável)

  • Emergência da geo-estratégia no pensamento de gestão
  • 1989: Managing across borders, de Cristopher Bartlett e Sumantra Ghoshal (o conceito de transnacional)

  • 1990: The Competitive Advantage of Nations, de Michael Porter (o lançamento da ideologia da competitividade nacional)

  • 1990: The Borderless World, de K.Ohmae (globalização)

  • 1995: The End of the Nation State, de K. Ohmae (a competitividade da região-Estado)

  • 1995: World Class, de Rosabeth Moss Kanter (a teoria dos 3 C's competitivos)
  • Nota: Esta cronologia está em construção. As contribuições dos leitores serão bem vindas. Feed-back: jnr@mail.telepac.pt