Salvador, o Consultor


O supra-sumo

     Da última vez que vos falei do Sr. Nematelminta tinha ele acabado de perder mais um emprego. Mas, como é homem que recupera facilmente, em breve fui dar com ele a discutir com o Salvador uma nova estratégia para uma carreira de sucesso.
     - Porque não tenta as Relações Públicas? - perguntou a D. Rosa.
     - Ou o Marketing Científico... - aventou, por sua vez, o Grande Consultor.
     Essas hipóteses foram então ponderadas muito seriamente. Quanto a mim, achei melhor ficar calado, pois parecia-me que só estávamos a perder tempo. No entanto, o Salvador começou logo a fazer pesquisas na Internet e em breve tinha estabelecido o retrato-robot do que poderia ser o Sr. Nematelminta nas suas novas funções.
     Claro que, antes do mais, teria de emagrecer bastante, a menos que se propusesse fazer publicidade de rações para engorda. Mas, tratando-se de pessoa pouco disposta a desportos que exigissem esforço, o Salvador recorreu a um genial artifício tecnológico:
     Graças aos seus dotes de programador criou um avatar com o aspecto do cavalheiro e tratou de ver o que sucederia sujeitando-o a exercícios virtuais. E foi assim que, debruçando-nos sobre o monitor, pudemos ver o que aconteceria ao Sr. Nematelminta se fosse obrigado a praticar ténis, basquetebol, alterofilismo, etc:
     Além da imagem do nosso homem aparecia, numa tabela em rodapé, a sua evolução fisiológica, pois subprogramas incrivelmente elaborados (pejados de referências a calorias, quilogramas e centímetros) detalhavam a evolução das pernas, das nádegas, da barriga, dos braços...
     Ora a simulação estava tão bem feita que, só de olhar para as imagens do bonequinho que o representava a fazer desporto, o pobre homem se sentia cansado, e sentava-se amiúde, suspirando e a suar em bica, mais ainda do que a sua representação digital!
     Mas eis que, de súbito, o Salvador activa uma simulação de um combate japonês. Decerto por engano pois, nesse desporto, o peso do concorrente não deve ser reduzido mas sim aumentado... e quanto mais melhor!
     De qualquer forma a ideia era divertida, especialmente quando apareceu um lutador gigantesco com cara de maldisposto a combater com o nosso freguês! Em pouco tempo estava este no tapete, e o mastodonte, rindo à gargalhada, aos pinotes em cima dele!
     - Como é que se chama esse desporto horroroso? - perguntou o pobre Nematelminta, de olhos em bico.
     Nem eu nem o Salvador nos lembrávamos.
     A resposta veio do próprio cliente quando, observando o boneco que o representava (e vendo qualquer coisa que escorria do "seu" corpo), comentou:
     - Que estranho... Não acham que isso parece sumo?!

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte