Salvador, o Consultor


Apoio sanitário

     Seja por causa da inflacção, da crise da nova economia ou por qualquer outro motivo, o certo é que o status médio dos clientes do Salvador tem vindo a baixar bastante nos últimos tempos, pelo que já não é tão frequente ele receber nobres, financeiros e grandes industriais no gabinete que o sobrinho lhe continua a disponibilizar.
     Mas ele não é daqueles gestores que ficam sentados nas poltronas à espera que os negócios lhe venham parar às mãos! Nada disso! Ele sabe levantar os fundilhos da cadeira e ir à luta, como temos visto.
     Um dia destes, mais uma vez, fui encontrá-lo na leitaria da D. Deolinda a tentar pôr as tecnologias (novas e velhas) ao serviço do negócios da boa senhora. E a breve trecho uma ideia luminosa do Grande Consultor dava um novo fôlego ao negócio:
     Uma maquineta, por ele inventada a partir de um velho 286, criava facturas personalizadas, por forma a que o cliente recebia a sua conta juntamente com a sina!
     E tudo passou a correr muito bem no estabelecimento, pois as sinas eram bastante variadas e sempre favoráveis, o que criava uma boa-disposição no cliente mesmo quando a conta atingia valores elevados (ou nela havia algum engano favorável à casa - o que acontecia com grande frequência).
     Mas o certo é que, nestas coisas de negócios tradicionais, «parar é morrer», e foi assim que o nosso amigo começou, com tempo, a pensar em mais artifícios para fazer crescer os negócios da cliente.
     Pois desta vez fui dar com ele, a um canto do estabelecimento, a recorrer à ajuda da Internet para se informar devidamente sobre horóscopos e signos. Estava tudo ainda na sua cabeça, como me explicou, mas «a coisa» tinha pernas para andar. Tratava-se de usar a atracção que os signos exercem (mesmo sobre quem não acredita neles).
     Assim:
     Nas mesas junto aos peixinhos tropicais, os clientes do Aquário sentir-se-iam muito bem; tal como, nesse mesmo sítio (ou perto das sardinhas de escabeche), os dos Peixes. Junto das sapateiras cozidas, os do Caranguejo; por baixo de um velho cartaz de uma tourada, os do Touro; a balança que está no balcão também atrairia clientes, o cartaz do Sporting agradaria aos do Leão, e até para os da Virgem havia por ali uma Senhora de Fátima de plástico.
     O Salvador confessou-me, em surdina, que só ainda não sabia como fazer para o pessoal do Escorpião.
     - E para os Sagitários? - perguntei, verdadeiramente curioso.
     - Essa é fácil. Naquela tabuleta ali emenda-se o "N" para "G".

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte