Salvador, o Consultor


O Sr. Nematelminta - I

     Durante as nossas frequentes intervenções no Parque Tecnológico onde a Teknospiro está sediada, conhecemos um dia um patusco indivíduo, com o estranho nome de Nematelminta, que trabalhava na empresa do Professor Equinócio.
     Ora este patrão, desde que tinha ao seu serviço um computador 486, achava que já tinha aderido à nova economia! E de tal forma se convenceu que tinha a firma nesse caminho que, quando começou a ouvir dizer que as empresas tecnológicas estavam em dificuldades, resolveu chamar-nos para trocar impressões.
     - Vocês já ouviram falar nas empresas TNT? - perguntou-nos ele, não escondendo a sua preocupação.
     Era evidente que se referia às TMT, mas não o corrigimos, e no seguimento da conversa percebemos o motivo da confusão:
     - Estão todas a dar um estoiro de várias megatoneladas de TNT!
     E, rindo, prosseguiu na senda dos disparates:
     - Dantes, havia as noivas «com dote». Agora temos as «dot-com»...
     Achou muita graça a si próprio, fizemos o favor de o acompanhar na risota, e ele continuou, satisfeito:
     - Ora bem... Assim sendo, desde que temos o nosso computador operacional, podemos dizer que também somos uma empresa «dot-com», não é verdade? E, para não ficarmos atrás do que se está a passar por esse mundo fora, decidimos também fazer despedimentos. O que acham?
     Ficámos sem saber o que dizer. Mas ele também não estava à espera da nossa opinião e perguntou:
     - Chegaram a conhecer o Sr. Nematelminta?
     Sim, tratava-se do funcionário encarregado de trabalhar com o tal computador único (de onde tinham sido roubadas as fontes), e percebemos logo que era ele quem estava "na calha" para ser dispensado...
     O professor, apreciando a nossa atenção, puxou-nos para um canto, baixou um pouco a voz e sorriu, acrescentando:
     - Notaram, decerto, que o Nematelminta é extremamente gordo. Eu, já para preparar terreno para um despedimento com justa causa, fui-lhe dizendo que ele saía muito caro à empresa por causa das cadeiras reforçadas que nos obrigava a comprar...
     A conversa estava a entrar num aspecto difícil de entender. Mas seria uma questão de tempo:
     - Ora ele, vendo a coisa mal parada, veio ter comigo e disse-me: «Chefe, reconheço que tenho engordado bastante devido ao meu tipo de vida, sempre sentado... Vou passar a movimentar-me mais, talvez fazer ginástica, passear o cão...»
     Nessa altura, o Professor deu uma gargalhada e concluiu:
     - Enfim... Não tivemos de o indemnizar, pois foi ele próprio que reconheceu que se queria tornar num ex-sedentário.

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte