Salvador, o Consultor


A Experiência Secreta - II

     Contei-vos, há dias, a intervenção que eu, o Salvador e a D. Rosa fizemos num estabelecimento prisional, onde decorria uma experiência altamente secreta envolvendo a ligação à Internet de reclusos em fase de reintegração social.
     Ora aconteceu que, quando já nos vínhamos embora dando a missão por terminada, o Director se virou para nós, um pouco constrangido:
     - Não sei se será abusar muito da vossa paciência. Mas temos, na Secretaria, um outro problema grave. A coisa até deve ser fácil para especialistas como vocês, além de que não mete Internetes nem ciberespaço...
     E, colocando-se entre mim e o Salvador, pegou-nos pelo braço e encaminhou-nos para uma sala onde nos apresentou como "resolvedores de problemas informáticos", elogiando as nossas capacidades nessa matéria!
     Um solícito funcionário, sentado a um computador, abriu então um determinado ficheiro e, levantando-se cortesmente, afastou-se, cedendo o seu lugar que o nosso amigo prontamente ocupou. Este, depois de esfregar as mãos com ar decidido, puxou a cadeira para a frente, e, sem tirar os olhos do monitor, proclamou, em tom de desafio:
     - Ora então venha lá daí esse problema tecnológico!
     No écran podia ver-se uma folha onde constavam os nomes de todos os reclusos, respectivas alcunhas, as datas de entrada e de saída e alguns outros dados pessoais.
     «Pronto» - pensei eu - «devem andar malucos com o bug do Ano 2000, e têm aqui gente condenada a mais de cem anos de cadeia...».
     Mas não era nada disso. Tratava-se de algo muito mais simples: fazer vários mapas a partir daquele.
     Num, colocar o pessoal por ordem de entrada. Noutro, por ordem de saída. Noutro, ainda, por idades. E, tratando-se de coisas relativamente fáceis, preparávamo-nos para explicar como se procedia. Mas o funcionário que ali trabalhava, sorriu:
     - Felizmente sabemos fazer isso tudo. Há até um ícone que nos ajuda. O problema é que nos vemos gregos para pôr as alcunhas por ordem alfabética!
     Agora é que não percebíamos mesmo nada! Isso era facílimo! E, sem mais comentários e com um sorriso de vitória antecipada, o Salvador atacou o rato e o teclado.
     - Vê como é difícil? - comentou, estranhamente, o funcionário que ali trabalhava.
     Ao princípio, não percebemos. Mas, depois, encontrámos uma linha aparentemente fora do sítio. A explicação não tardou, vinda do Director:
     - O problema é novamente com o Chico Lima, por alcunha "O Piolhos". Desde que anda metido na experiência secreta da "Internet nas Cadeias", não há quem o ature. A coisa subiu-lhe à cabeça, julga-se um intelectual, e faz questão de constar na ficha com a alcunha de "3,14 - olhos".

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte