Colaborações no Diário Digital


Voltam as forcas?!

O meu primeiro carro foi um robusto Ford Escort de 1971 em segunda-mão que tinha, na face vertical do porta-bagagens, a palavra «FORD» escrita com quatro letras separadas.

Quando, um belo dia, alguém me roubou o «D», tentei repô-lo, mas não foi fácil; e não esqueço o conselho maldoso que alguns me deram para que eu fizesse o mesmo a outro infeliz, nem o divertido comentário segundo o qual «mesmo assim, a palavra soa da mesma maneira...».

E o certo é que ainda durante muito tempo andei com o «FOR» - até que encontrei, num sucateiro, a solução para esse problema ortográfico.

Mas, se fosse hoje, talvez tivesse recorrido a um artifício:

Como se sabe, muita gente aproveita o facto de algumas letras terem uma determinada fonia para obter efeitos que, além de engraçados, permitem poupar espaço em textos. E assim apareceu o «K7» (em vez de «cassete»), o «2B» (em vez de «to be») e muitos outros, como o «4U» (em vez de «for you») e até o embaraçoso «CU» (em vez de «see you»).

Portanto, eu também poderia ter arranjado um «4», ficando com um «4Escort».

*

E já não me lembraria disso se não calhasse ver o endereço da página na Internet do «Força * Portugal!»:

www.forportugal.com

E é espantoso como, em tão poucas letras, saltam à vista tantas coisas:

Primeiro, a ausência do sufixo «pt», que ficaria muito bem numa página portuguesa.

Depois, o facto de o nome do nosso país não estar escrito com maiúscula (www.forPortugal.com vai dar à mesma página).

Finalmente: o «for» significará «para» (num esforço sabujo para agradar aos aliados britânicos e americanos)? Se assim é, podiam ter metido «4Portugal», que sempre era mais divertido!

Claro que não se trata de nada disso.

O que sucede é que os endereços das páginas na Internet não podem ter caracteres com cedilhas nem acentos; por isso, foi preciso eliminar a última sílaba da palavra «força».

Além do mais, pelo mesmo motivo que as páginas que têm a palavra «caça» ficam com muito mau aspecto, as que têm a palavra «força» são transformadas em algo que remete para a pena de morte - e isso, convenhamos, seria MUITO embaraçoso para a Coligação PSD/CDS...


Publicado no "Diário Digital" em 2 Junho 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte