Colaborações no Diário Digital


Cuidado! O ridículo mata!

Estamos fartos de ver cenas de «artistas» que vão fazer corridas para a Ponte Vasco da Gama ou ralis para o interior de povoações: beneficiam da publicidade que certa TV lhes dá («Vamos num carro a 262 km/h!» «Esta moto vai a 320!»), e alguns desses tontinhos, julgando-se vedetas e sentindo-se impunes, nem se importam de dar a cara:

«O carro é meu, está pago, e faço com ele o que quero!» - dizia há tempos, enfrentando a câmara, um garoteco.

Ele ou um compincha acabara de danificar um quintal particular (numa exibição que já era habitual); e todos esses «jeitosos» tinham actuado perante o gáudio dos assistentes e a revolta do dono do quintal - sem que houvesse uma palavra crítica por parte dos responsáveis pela reportagem e muito menos uma intervenção da GNR que, segundo disseram, nunca aparecia.

Mas já este mês houve boas novidades, nomeadamente uma bem organizada operação-stop (em plena A1 e durante a noite - levada a cabo pela BT da GNR) que foi extremamente eficiente. Que façam muitas mais (e em locais e horas sempre variados e inesperados), são os meus votos!

Entretanto, a PSP de Faro resolveu não ficar atrás, invocando o grande número de peões atropelados. Tudo bem; mas, em vez de escolher uma estrada ou uma localidade onde esse drama seja frequente, foi para um parque de estacionamento de um hipermercado (!) aplicar multas (que vão de 6 a 30 euros) a quem atravessava fora das passadeiras.

Dado o surrealismo da cena e a presença da TV, muitos dos «apanhados» devem ter pensado que era para «Os Apanhados» - e o certo é que, de certa forma... foi!


Publicado no "Diário Digital" em 26 Maio 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte