Colaborações no Diário Digital


O Sarrafusquense e as casas devolutas

I - O GLORIOSO SARRAFUSQUENSE:

Um dia destes, deparei-me com um bando de garotos que, no meio de grande algazarra, perguntavam a quem passava se era do Benfica ou do Sporting.

As pessoas, em geral, achavam-lhes graça e lá respondiam uma coisa qualquer - ou a verdade, ou o que lhes vinha à cabeça - só para se verem livres deles.

Mas a cena mais engraçada passou-se com um estrangeiro que, por mais que se esforçasse para ser simpático, não o conseguia porque, pura e simplesmente, a pergunta não lhe dizia nada - aliás, nem sequer a percebia.

O pior é que os putos não o largavam! Talvez encorajados por verem que ele só se ria, iam atrás dele, em grande grita, puxando-lhe pelo casaco e continuando a questionar: «Ó senhor! Ó senhor! Você é do Benfica ou do Sporting? É do Benfica ou do Sporting?».

Até que um velhote, que ia a passar, se condoeu do homem e respondeu por ele, inventando uma resposta libertadora: «Não macem o cavalheiro! Ele é meu amigo, e sei que não é do Benfica nem do Sporting - é do Sarrafusquense».

Depois de uma primeira reacção de incredulidade, todos se riram (até o estangeiro, que pareceu perceber a graça), cada um foi à sua vida, e a brincadeira - pelo menos essa - acabou.

Salvo melhor opinião, é uma coisa semelhante o que se prepara para o referendo europeu - e, neste caso, a «brincadeira» ainda agora vai no início, porque querem por força que respondamos «sim» ou «não» a uma questão sobre a qual ninguém se dá ao incómodo de nos esclarecer...

II - O CASO DAS CASAS:

Segundo o «Jornal de Negócios», os proprietários de casas devolutas (estimadas em mais de 540 mil) vão ser penalizados: passarão a pagar o dobro do imposto; e o secretário de Estado, Eduardo Cabrita, até já lançou um «slogan» (o que é sempre bom nestas circunstâncias):

«Rendimento zero, imposto duplo».

Além da expressão «E mai´ nada!» (que costumo ouvir a um maluquinho que anda na minha rua a dar pontapés nos caixotes-do-lixo), só me ocorre dizer: «Perfeito! Certíssimo! Cinco Estrelas!»

O pior é que todos sabemos que, em matéria de leis, Portugal resolve a sua não-aplicação recorrendo ao aumento das penas:

Quanta gente já foi punida por ter marquises de alumínio, por deixar o cão defecar no passeio ou por atravessar fora das passadeiras (excepto no honroso caso de Faro, onde a PSP até já fez Operações-STOP a peões em parques-de-estacionamento)?

Vamos lá ver se, neste caso das «devolutas» não se aplica o aviso:

- Estás tramado, pá! Não tens pago impostos, mas com a lei que aí vem... vais passar a pagar o dobro!


Publicado no "Diário Digital" de 23 Maio 2005

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte