Colaborações no Diário Digital


Os espantados e os ineficientes

Claro que foi com satisfação que acompanhei, pela Comunicação Social, a «Presidência Aberta» que, durante 4 dias, Jorge Sampaio dedicou às desgraças do nosso trânsito, nomeadamente aos DESASTRES a que, quase sempre impropriamente, toda a gente continua a chamar ACIDENTES.

Mas houve uma coisa que, acima de tudo, me fez confusão: foi o ar de infinita surpresa com que ele e demais responsáveis se referiram a uma realidade que qualquer cidadão conhece há anos e anos.

Então ainda é preciso «pegar no pessoal» e ir mostrar a IC19, o urbanismo criminoso, os assassinos-do-volante (e outras realidades semelhantes) e depois dizer, com ar de grande espanto, «Ah! Então a realidade é esta?! Não sabíamos! Mas está mal, não pode ser!!»?!

Em que mundo têm vivido até agora?

Basta-me olhar pela janela, aqui mesmo do sítio onde escrevo estas linhas, para ver a impunidade reinante:

Condutores a falar ao telemóvel, inúmeros carros circulando na faixa «BUS», outros estacionados em segunda e terceira filas, outros ainda ocupando completamente as paragens de autocarro ou a totalidade da largura dos passeios... e agentes da PSP e da Polícia Municipal (alternando com patuscos fiscais da EMEL), circulando a pé ou de motorizada, calmos, impávidos e serenos, como se não fosse nada com eles.

Há dias, interpelei dois desses agentes e perguntei-lhes como é que seria possível desenvencilhar de carros, carrinhas, camionetas, moto-4 e jipes o passeio por onde eu teimo em querer circular.

Disseram-me ambos que telefonasse para o 112; estranhei a resposta, mas assim fiz.

De lá, indicaram-me um outro número (o 217 654 242), e para ele liguei.

Depois, daí (e sempre com muita música), fui passado de extensão em extensão... até perder a paciência e desligar.

Fui então à Internet e, na opção «Contacte-nos» da página www.psp.pt/, encontrei o endereço de e-mail das Relações Públicas da PSP (gcrpub@psp.pt).

Escrevi para lá, relatando a minha saga em poucas palavras, e perguntando (em letra bold!) uma coisa que, na minha ingenuidade, pensei que fosse fácil de responder:

«Qual é o número de telefone da PSP para onde eu poderei ligar?»

Bem... isso já foi há vários dias. Agora espero sentado.


Publicado no "Diário Digital" de 9 Maio 2005


9 de Maio 05 - 16h 02m

A resposta acabou por chegar - e aqui se transcreve. O problema é que o nº de telefone indicado... é precisamente o mesmo que motivou esta crónica!

--

Exmº Sr Ribeiro,

Vimos acusar a recepção do seu mail, tendo o mesmo merecido a melhor atenção.
O nº 112 é um número com características definidas por lei, que apenas deverá ser usado em caso de emergência.
Quando necessitar de ligar para esta Polícia, poderá fazê-lo através do nº 217654242, que posteriormente o operador faz a triagem e encaminha a situação para o serviço correspondente.
No entanto poderá recorrer a outros números desta Polícia, nomeadamente da Divisão de trânsito. (Em anexo envio-lhe uma listagem com os números de telefone de alguns serviços do Comando de Lisboa).

Com os melhores cumprimentos.
COMANDO METROPOLITANO DA PSP DE LISBOA

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte