Carta(s) Branca(s)


Grande Carnaval!

Há um ditado, embora pouco conhecido, que garante que «comprar caro e vender barato qualquer um é capaz de fazer».

Ora, segundo o Expresso do passado dia 1, o nosso governo decidiu vender 12,5 mil milhões de Euros de dívidas ao Fisco e à Segurança Social a uma organização chamada Citigroup - onde pontifica um cavalheiro saudita de nome Al Alwaleed, cujo lema é: «Comprar tudo o que valha 4000 milhões e só custe 1000 milhões» (no nosso caso, é ainda mais «generoso»: por cada 5, paga 1...).

Embora tal não fosse necessário, ficámos perfeitamente esclarecidos acerca da eficiência do nosso Estado em pôr a pagar impostos quem não se dá ao incómodo de o fazer. Quanto à arte da senhora Ministra das Finanças para os bons negócios (do género dos que são referidos no início deste texto) também já há algum tempo que estamos conversados.

A novidade talvez seja estarem em vias de legalização as empresas de «cobranças difíceis» - aquelas com rapazes musculosos - que eu julgava que actuavam à margem da lei.

Mas o certo é que já há algum tempo que tínhamos o Cobrador-do-Fraque, a que se juntou, recentemente, um outro patusco com funções semelhantes - envergando roupas de coelho!

Dado que os impostos, no nosso país, se tornaram num verdadeiro Carnaval, devemos estar preparados para ver, um dia destes, a figura do Zé-Povinho mascarada de pato, de camelo ou de urso. Quanto ao seu irmão gémeo, o Zé-Pagante, já há muito tempo que os sucessivos governos lhe impuseram a vestimenta de palhaço...


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 15 Novembro 2003

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte