Carta(s) Branca(s)


A promessa ganhadora

Recordo-me de que a popularidade de Guterres subia quando ele sumia, mas os conselheiros de Durão Barroso também recomendam ao seu cliente que evite os debates e não fale muito.

Lá terão as suas razões. Ora veja-se:

Cavaco dizia que Portugal era o melhor aluno da Europa. Agora, quando Durão Barroso garante que não deixará construir o aeroporto da Ota enquanto houver crianças em listas de espera ou pensões de miséria, a Comissária Europeia dos Transportes manda-lhe um recado do género de «Não diga disparates».

Assim, temos um candidato que garante vir a fazer o que o seu governo não fez em seis anos; e outro que propõe coisas que, no mínimo, são insólitas (e porque não parar a auto-estrada para o Algarve até deixar de haver pobrezinhos?)

Aqui fica a sugestão de algumas promessas alternativas, válidas para qualquer candidato, e que o levariam à vitória:

«Todos os do meu governo andarão apenas nos transportes públicos até que eles sejam decentes; apenas recorrerão aos hospitais públicos até que eles funcionem como deve ser; irão sofrer nas filas das repartições como toda a gente», etc., etc.

Depois, só teria o problema de arranjar quem quisesse ir para esse seu governo.


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 2 Mar. 2002

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte