Carta(s) Branca(s)


Se Deus quiser...

Não sou muito entendido em religiões, mas o suficiente para estranhar que todas preguem Paz & Amor enquanto muitos dos seus seguidores se vão exterminando uns aos outros desde há séculos - às vezes por diferenças de interpretação do MESMO Livro Sagrado.

Também não percebo como compatibilizam a existência de divindades infinitamente bondosas com a realidade insuportável do sofrimento de inúmeros inocentes (nomeadamente as crianças que morrem de fome, de doenças e de guerras), mas admito que haja explicações muito respeitáveis.

Isso agora pouco interessa. O caso é que deuses e crianças vieram ao meu espírito no seguimento de uma associação de ideias relacionada com - já cá faltava! - o escândalo da pedofilia.

Eu explico:

Dizem que há uma senhora que fala «tu-cá-tu-lá» com Jesus Cristo (não em aramaico mas na nossa língua!); ora isso pode ser a solução para o referido problema que, como é sabido, traz a sociedade portuguesa em alvoroço.

Eu peço a ela que peça a Ele que peça ao Pai que nos diga se os actuais detidos (e quais) são inocentes ou não - para ver se podemos ter algum sossego!

Mas não estou optimista. Mesmo que a pergunta Lhe chegue após tantos intermediários, palpita-me que a Sua resposta, depois de percorrer o caminho inverso, será: «Ele pede serenidade e manda dizer que oportunamente os julgará a todos». E nem faltará o inevitável esclarecimento: «Até lá, Ele mantém o caso em segredo de justiça».


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 7 Junho 2003 e no "Correio da Manhã" de Moçambique no dia anterior

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte