Carta(s) Branca(s)


O reino dos Algarves

O Governo aprovou uma verba de 1 500 000 euros para renovar as placas de sinalética turística para o Algarve. E em boa hora fez, como adiante se verá.

Quando, no verão passado, passei pela 125, lamentei não ter a jeito a máquina fotográfica: num hotel, à beira da estrada, a bandeira portuguesa ondulava ao vento «de pernas para o ar»!

Horas depois, em Lagos, deparei com um edifício público em que se passava exactamente o mesmo. Era demais! Procurei um agente, chamei-lhe a atenção, gerou-se algum burburinho, mas o certo é que, passado algum tempo (talvez a consultar as instruções), a situação foi corrigida.

No dia seguinte, numa pequena localidade do barlavento algarvio, entrei num restaurante onde só havia menus em inglês; e em seguida num outro onde a dona me disse que, se quisesse ver o que havia para comer, teria eu mesmo de ir buscar a ementa ao balcão! (Foi nessa altura que me recordei de que alguém me tinha dito que havia um «refúgio para burros» em Estombar...)

Saindo dali, comecei a deparar com umas estranhas tabuletas anunciando «SW Alentejano». Que diabo seria o «Software alentejano»?! Mas, afinal, parece que o «SW» queria dizer «South West».

Acabrunhado, acabei por ir almoçar a Vila-do-Bispo. Ou terá sido a Village of the Bishop?


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 25 Jan. 2003

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte