Carta(s) Branca(s)


Mas que número!

Uma vez reunida a Assembleia Geral Familiar, procedemos ao inventário das necessidades e concluímos que o nosso problema financeiro teria solução se conseguíssemos obter uma boa indemnização de alguém. Assim, e uma vez apurada a verba necessária, multiplicámo-la por 10 e preparámos tudo, incluindo a habitual declaração garantindo que o dinheiro será entregue a pessoas necessitadas... Agora, é só rezar para que venha depressa uma boa provocação remível a patacos!

Quem me deu a ideia foi o Governo, pois palpita-me que é uma das coisas que está a fazer para cumprir o défice de 2,8%: a senhora Ministra da Justiça, por exemplo, já fez a sua parte pedindo uma indemnização de 15000 euros a Saldanha Sanches o que, embora seja pouco (a menos que se tenham extraviado alguns zeros), é de boa-vontade. Também deve haver muita gente a preparar-se para ganhar dinheiro com o insulto dos «palermas». E, esse sim, pode dar um dinheirão, porque são muitos (os ofendidos, entenda-se).

Entretanto, e oportuno como sempre, Paulo Portas, não perdeu tempo: ainda os outros «andavam a dormir», e já ele exigia ao EXPRESSO uma verba choruda.

Só não percebo como se foi lembrar de um valor que nem sequer vai caber por extenso no cheque. Que raio de algoritmo usou para concluir que a afronta valia 4987978,97 euros?!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 30 Nov. 2002

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte