Carta(s) Branca(s)


Espeto de Ferro

No seguimento das irregularidades nas contas dos partidos (tropelias que já vêm desde 1994), o Tribunal Constitucional requereu, este ano, a aplicação de coimas: foram todos «coimados», com excepção do PCP. Mas, pior do que não se perceber «porquê só agora», é pensar-se que os maiores faltosos são precisamente os que nos têm vindo a governar. Ora, se não conseguiram gerir a sua própria casa...

Mas vamos ter de viver com aquilo que temos, e podemos sempre consolar-nos com um pacote de três provérbios:

O «Bem prega frei Tomás...» e o «Olha para o que eu digo...», que serão para repartir entre o CDS e o PSD; o da «Casa de ferreiro...» já está reservado.

Gostaria de aproveitar o espaço que resta para transcrever um antigo conto oriental: o do monarca que, sentindo-se velho e cansado, prometeu dar a sua filha a quem o ajudasse a governar o reino. No meio de várias peripécias aparece o carrasco, que vai cortando as cabeças dos candidatos à medida que se vai descobrindo que são mercadores falidos. Ao decidir que assim se faria, o rei apenas comentara: «Se não conseguiram gerir a sua própria casa...».

Mas o espaço não chega para contar mais - e ainda bem, para não me acusarem de associação de ideias!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 14 Set. 2002

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte