Carta(s) Branca(s)


Realmente...

Numa altura tão agitada, como é a actual, andava a estranhar o silêncio dos monárquicos acerca de algumas coisas que apoquentam o país. Por isso, foi com um misto de agrado e surpresa que deparei há dias com o que adiante se pode ler, escrito pelo punho do próprio D. Duarte algum tempo antes das últimas eleições:

«(...) e entre os homens se diz, quem a todos quer prazer, a todos despraz». Recado para o Eng. Guterres?
«Que vos lembre muito o que afirmardes de fazer, que por míngua de tal lembrança vi muitos falecer do que dizem e prometem». Recado para o PSD, a propósito da promessa de baixar impostos?
«Que, assim como tendes cuidado de buscar dinheiro, que assim sempre sejais avisado de o fazer por justos e direitos caminhos». Recado para quem viesse a ser Ministro das Finanças?
«Que não vos metais em desordenadas despesas, porque se não puserdes em isto temperança, não vos podeis escusar de grandes mínguas». Recado para quem viesse a ser Ministro da Defesa?

Mas fui vítima de um mal-entendido! É que o que acima se transcreve são recomendações de D. Duarte, sim, mas não aos actuais políticos. Destinavam-se ao seu irmão, o Infante D. Henrique, no início do século XV...


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 15 Jun. 2002

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte