Carta(s) Branca(s)


Dissolvidos têm solução?

Quando Jorge Sampaio anunciou a sua decisão de dissolver a AR, o PSD veio reafirmar que ele não era o seu adversário. Porém, ainda nem uma hora tinha passado, e já a rapaziada deitava pela borda-fora essa intenção, dando o seu melhor para mostrar que as asserções de imaturidade, afinal, só haviam pecado por tardias e brandas.

No entanto, ouviu-se uma queixa que parecia lógica: Sampaio não pormenorizara as descoordenações, trapalhadas e contradições que haviam caracterizado o consulado de Santana Lopes; só que isso foi pura caridade cristã - o Natal tem dessas coisas...-, pelo que só deviam ter ficado gratos!

De qualquer forma, e para que nem tudo fosse mau, os chorosos «corridos por incompetência» receberam o conforto de Alberto João Jardim - que, para os animar, disse, num dos seus suculentos discursos, que "competentes são os que ganham eleições". (Curiosamente, uma vez incluídos Hitler, Fátima Felgueiras e Avelino Ferreira Torres nesse glorioso rol - e relegados Churchill e Freitas do Amaral para o oposto -, ficam de fora os que umas vezes ganham e outras vezes perdem, como Vale e Azevedo e Cavaco Silva. Mas talvez estes sejam «competentes pisca-pisca»...).

Sentindo-se inspirado, Jardim aproveitou também para esclarecer que uma das causas da desgraça foi «o Governo ter entrado a matar na Comunicação Social». Talvez pudesse não o ter dito quando os «matadores» andavam, precisamente, a protestar inocência, mas lá que tem razão, tem: consulte-se, p. ex., a Ficha Técnica do «Jornal da Madeira» (www.jornaldamadeira.pt) e veja-se quem é que figura logo à cabeça dos colaboradores!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 18 Dezembro 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte