Carta(s) Branca(s)


E andam à solta?!

EM TEMPOS que já lá vão era frequente termos de aturar uns tontinhos que, tomando-nos a todos por parvos, diziam: «Foi um erro do computador...»; e o certo é que ainda devem andar à solta por aí pois, apesar de já se ter comemorado o 35º aniversário do nascimento da Internet, ainda há quem continue a fazer ilusionismo com as «modernices»:

Há dois anos vim a saber que os meus descontos para a Segurança Social estavam a ser processados com um atraso de 8 a 9 meses «devido a problemas informáticos e à Internet»; já em Fevereiro deste ano pude testemunhar a impossibilidade de pagar o IVA (pela Internet e pelo MB) «por sobrecarga do sistema informático»; o escândalo das colocações de professores está para além de qualquer comentário - e teremos de ficar por aqui devido à limitação de caracteres...

Não seria verdadeiro serviço público empandeirar de uma vez por todas a «tropa» responsável por essa infindável orgia de incompetência a quem, ainda por cima, andamos a pagar?

POR FALAR em «tropa»: não dispondo, pelos vistos, de modernices como radares, o Governo mandou dois navios de guerra fazer, ao largo da Figueira da Foz, aquilo que se sabe.

Ora, quando se pensava que Paulo Portas iria destacar a fragata Sacadura Cabral (assim chamada em honra do seu glorioso antepassado), eis que aparece a corveta Baptista de Andrade - talvez por ela ter o número 486 tenha achado que seria mais eficaz no combate às temíveis pílulas RU-486 (*).

Quanto às munições, decerto não serão usadas - o ridículo já é suficientemente letal.

(*) Não faltará quem pergunte: «Um 486?! Então não se arranjava um Pentium?».


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 11 Setembro 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte