Carta(s) Branca(s)


Perdido na tradução

Uma sondagem publicada no dia 29 de Março, no «Correio da Manhã», revelava que mais de metade dos portugueses consideram ser «grande» ou «muito grande» a hipótese de haver um atentado da Al-Qaeda em Portugal. Se juntarmos os que acham que é «média», então o valor excede os 75%!

No entanto, não me parece que Portugal esteja na mira do terrorismo mais do que qualquer outro país:

Veja-se que Bush nem sequer se lhe referiu quando agradeceu aos que o apoiaram na guerra do Iraque; note-se como Durão Barroso raramente aparece nas fotografias da Cimeira das Lajes (parece que o apagaram das fotografias, como Estaline fazia com os seus opositores...); e repare-se que, no vídeo em que Bin Laden ameaça meio-mundo, também somos esquecidos.

Mas as coisas podem estar a mudar pois, segundo o «Expresso online», a Casa Branca anunciou que Bush, no passado dia 23, pediu a Durão Barroso que se envolva nos esforços diplomáticos dos EUA para a reconciliação com a «velha Europa» - o que, decerto, sucedeu na sequência do resultado das eleições espanholas.

Palpita-me que ele deve ter chamado um assessor que ia a passar e lhe ordenou que visse se, neste lado do Atlântico, havia algum «duro» digno desse nome. E o atarantado ajudante, folheando algum guia ou dicionário, chegou, naturalmente, ao nosso primeiro-ministro.

Se calhar, foi o mesmo que ajudou uma marisqueira portuguesa a compor o anúncio bilingue que colocou na sua porta:

VENDEMOS PERCEBES / WE SELL UNDERSTANDS


NOTA: Poderei enviar a fotografia do anúncio a quem mo solicitar.


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 3 Abril 2004


Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte