Carta(s) Branca(s)


Os eco-«pontos»

1 - Tenho uns vizinhos que separam com desvelo os lixos domésticos - metendo-os, como mandam as regras, em diferentes saquinhos. Em seguida, levam-nos até ao ecoponto mais próximo e colocam-nos, muito bem alinhados... no chão.

2 - Recentemente, um jornal mostrava um contentor cheio de garrafas recolhidas em vidrões. Surpresa: muitas delas eram de plástico! É que pessoas analfabetas, incapazes de ler a palavra VIDRO, haviam-se guiado pelos cartazes com desenhos de garrafas (afixados nesses recipientes).

3 - Em plena discussão sobre segredo de justiça, vimos na TV uns cavalheiros a arrastar caixotes-do-lixo para o interior de um tribunal. Tratava-se de funcionários do mesmo, reagindo ao facto de alguém lá da casa ter posto à porta inúmeros papéis de processos - disponibilizando-os, dessa bizarra forma, para consulta pública.

4 - Todos sabemos como o Governo tem encarado os problemas do Ambiente: com displicência face às metas de Quioto, com incompetência no combate aos fogos florestais, com tolerância quanto às descargas das suiniculturas, com compreensão no que toca às «largadas» de lixo junto às estradas, com insensibilidade no que respeita aos preços dos transportes públicos...

Mas tudo isso vai mudar: um simpático-dinâmico secretário de Estado, tendo de começar por algum lado, lembrou-se de desatar a multar os cidadãos que, no remanso do lar, não procedam à triagem dos seus lixos. Força! Se for caso disso, afinfe-lhes com processos judiciais - mas reze para que não vão parar ao tribunal atrás referido!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 6 Março 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte