Carta(s) Branca(s)


Sexta-feira-13

Todos sabemos como o Estado é compreensivo com quem não se dá ao incómodo de pagar impostos; vejamos então como trata «os outros»:

Uma pessoa minha amiga, tendo recebido uma guia das Finanças para pagar o IVA até ao passado dia 16, quis fazê-lo pela Internet - e na noite de 12 para 13 veio pedir-me ajuda. Não demorou nada: o «site» respectivo tinha «gripado»!

Passámos, então, à opção Multibanco - e lá fomos, pelas ruas alfacinhas, em busca de um terminal. O primeiro que encontrámos nem deu acesso à opção «Pagamentos ao Estado»; mas os seguintes foram explícitos: «Operação temporariamente indisponível».

Já de manhã, e juntos em viagem para a Beira-Baixa, fomos tentando pelo caminho: mas sempre o mesmo resultado!

Felizmente, as instruções referiam uma alternativa ao «não pagamos!» que estávamos em vias de proclamar: os CTT!

Indicaram-nos uma Estação (já em Castelo Branco...), arranjámos um cheque, e lá fomos nós.

- Não o podemos aceitar - informou-nos a funcionária.

Confrontada com o texto onde constava o oposto do que nos dizia, esclareceu-nos que as regras tinham mudado dias antes: o cheque teria de ser enviado num envelope a confeccionar com a própria guia! Mas ela mesma tratou disso, pelo que tudo acabou em bem graças a essa solução de tecnologia de ponta.

Resumindo: por uma bagatela (o custo do cheque mais o do registo), tivemos, nessa sexta-feira-13, a sorte de poder apreciar como o Estado, com a ajuda das novas tecnologias, apaparica o cidadão que QUER MESMO pagar impostos. E ainda dizem que «esses» são dias de azar!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 28 Fevereiro 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte