Carta(s) Branca(s)


A patin(h)ar...

Muitas pessoas criticaram a contradição entre o aperto salarial imposto aos funcionários públicos e os aumentos dados aos gestores hospitalares que passaram a ganhar mais do que ministros. Não percebem que se trata de subtis actos de governação, a bem do Povo que só tem de ficar agradecido. Aliás, há muitos exemplos que provam que estamos no bom caminho:

Dos 58 milhões que os clubes de futebol deviam, na altura do toto-negócio, já foram recuperados 8! O Governo, tendo em mãos 11,4 mil milhões em calotes ao Fisco e à Segurança Social, desencantou um benemérito que deu 15% por eles! E por aí fora...

Portanto, pelo menos a máquina fiscal está a funcionar bem. E de tal forma assim é, que acabam de ser chamados às Finanças inúmeros contribuintes para pagarem o que já tinham pago. Neste caso, tratou-se de "uma descoordenação entre serviços", mas a intenção era boa, pelo que não compreendo pessoas como o meu amigo Roberto que, no seu habitual tom azedo, comenta:

- Foi preciso o "Público" vir lembrar ao David Justino que se tinha esquecido de declarar rendimentos que recebeu como vereador! Só vos digo que isto dos impostos é uma monumental palhaçada, num circo que não vai parar - porque não faltam os palhaços-pobres, como eu, nem os ilusionistas!

E conclui:

- Se um dia essa tropa-fandanga-que-a-gente-sabe for empandeirada com o Rendimento Social de Inserção e com uns patins calçados, cuidado com a "reinserção" - não vão eles brotar noutro qualquer "rico-serviço"! E quanto aos patins, para condizerem com TGV, que sejam de Alta-Velocidade!


Publicado no "EXPRESSO" - "Carta Branca", em 24 Janeiro 2004

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte