Cartas para a Imprensa


Eco... lógico?

Um dia destes, ao comprar uma pilha nova para o meu relógio de pulso, perguntei ao dono da loja se iria deitar a velha no respectivo ecoponto pois, no caso contrário, fá-lo-ia eu.

«Claro que eu trato disso, meu caro senhor!» - sossegou-me ele, com um sorriso.

No entanto, de imediato e para minha grande surpresa, atirou-a para o caixote-do-lixo que tinha a seu lado!

Achei o acto tão estúpido, que lhe pedi para me explicar por que razão o fizera.

Não se ofendeu. Fez aquele ar de Chico-esperto que tão bem caracteriza certo tipo de português, e esclareceu-me:

«Então o meu amigo não sabe que no preço das pilhas já está incluída uma taxa ecológica? Então, já que a pagamos, eles que tratem disso. Ou era só chupar a massa do pagode, não?!».

Esta história tem alguma graça? Se calhar, sim - e até tem pilhas.


Publicado no "DN" de 11 Maio 2005... com o título «A reciclar» e no jornal "metro" do dia seguinte

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte