Cartas para a Imprensa


Um raciocínio subtil

Ao acabar de colocar um aviso de «Cuidado com os carteiristas!», um funcionário do Metro é vivamente interpelado por um passageiro furibundo:

- Olhe lá! Isto não é assim! Vocês têm de denunciar quem são os larápios, e têm de o provar, caso-a-caso!

Cria-se burburinho e, confrontado por alguns dos presentes com a falta de lógica do que afirma, o cavalheiro puxa de um silogismo de fazer corar Aristóteles:

- Então? Eles não dizem que no Metro viajam carteiristas? Ora, como nós viajamos no Metro, estão a dizer que somos carteiristas! - e há quem «faça que sim» com a cabeça...

Embora esta argumentação, de tão tonta que é, dê vontade de rir, o certo é que Fernado Ruas proferiu uma de teor exactamente igual em reacção a uma declaração de Mário Soares segundo a qual há corrupção nas autarquias.

Dizia o esforçado senhor, recorrendo ao mesmo finíssimo raciocínio:

- Então? Ele não diz que há autarcas corruptos? Ora, como o filho dele e Jorge Sampaio foram autarcas, está a dizer que ambos são corruptos! - e, deliciado com tanta subtileza, sorriu!

Palpita-me que muita gente o acompanhou no riso...


Publicado na "Visão" em 27 de Janeiro 2005 com os cortes indicados em itálico

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte