Cartas para a Imprensa


Os solidários

Quando li que Ferro Rodrigues estava solidário com o Governo no problema dos fogos, sorri. É que eu tinha acabado de saber que os famosos «kits» - comprados para equipar aviões para o combate a incêndios - estavam a apodrecer desde 1996! Isso, juntamente com os milhares de hectares ardidos em anos de governos PS, explica bem a solidariedade entre dois partidos que - pelo menos no aspecto florestal - estão muito bem um para o outro!

No entanto, quando deflagrou o primeiro grande fogo deste ano, foi Jorge Sampaio quem logo apareceu e, emocionado, pediu a declaração de calamidade para a região. O Governo recusou essa pretensão - declarando que era preciso, primeiro, realizarem-se estudos - fazendo aquilo a que já nos habituou: «desdramatizou» e... «minimizou» o problema.

O truque já é velho: houve um senhor da Casa Pia que disse que só um pedófilo era pouco; Bagão Félix demitiu-o, mas também ele «minimizou» o número de desempregados previstos por Vítor Constâncio. E sempre por aí fora, ora «desdramatizando», ora «minimizando», até ultrapassar as raias do absurdo com Guilherme Silva a «minimizar» o número de vítimas mortais dos fogos, declarando que uma dúzia não era exagerado.

Num recente inquérito da TSF na Internet perguntava-se: «O Governo está a reagir com eficácia aos incêndios?».

O «Sim» teve uma percentagem que variou sempre entre 19,9 e 20,1%, o que mostra que, pelo menos esses votantes, também já aprenderam a «minimizar»...


Publicado (com destaque) no "DN" de 17 de Agosto de 2003 com o título "Ligeirezas"

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte