Cartas para a Imprensa


Maquias e tauromaquias

Quando Pedrito de Portugal matou um touro na Moita cometeu uma ilegalidade que lhe valeu uma condenação em tribunal: uma «maquia» de € 100 000...

Até aqui nada de espantar pois, tratando-se de um profissional, decerto sabia as regras por que se rege a sua actividade - e só teve de escolher entre agir em conformidade com elas ou sujeitar-se às sanções legais se o não fizesse.

As novidades vêm depois, com a sua defesa:

1 - «Noutros países não seria multado!» - O mesmo argumento do cavalheiro que foi apanhado a conduzir a 224 km/h: «Se tivesse sido na RFA não tinha problemas!»

2 - «A punição é inconstitucional!» - Hoje em dia, quando alguém tem problemas legais, diz que a lei é contra a Constituição! Que jeito que dava à Ministra das Finanças um «imposto especial por conta» das tontices!

3 - «A culpa foi do público, que quis que eu matasse o touro!» - Ah! Este argumento, sim, é válido porque tem bons precedentes: foi o que apresentaram D. Fátima Felgueiras e os seus apoiantes. Não acabámos nós de saber que ela andou este tempo todo, mesmo fugida à Justiça, a receber os ordenados da Câmara?

Enfim... Grandes touradas!


Publicado no "Visão" de 17 de Jul 2003, com os cortes indicados em itálico

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte