Cartas para a Imprensa


«Música em Coimbra»

Queixam-se alguns munícipes, inveterados melómanos, da exclusão a que foram votados nos concertos de qualidade realizados sob os auspícios de Coimbra – Capital da Cultura. Não procuro saber dos critérios de atribuição dos bilhetes de ingresso nem das alternativas para satisfazer um maior número de interessados. Move-me a solidariedade para com numerosos amigos a quem gostaria de proporcionar algum refrigério, ressarcir das mágoas e apontar para a catarse outros concertos.

É por isso que peço ao Diário de Notícias para divulgar esta fotografia tirada na Praça Machado de Assis, ao prédio de gaveto das Ruas Machado de Castro e Virgílio Correia e convidá-los a entrar no ambiente calmo da Sapataria Norbal, disponível às horas de expediente, sem grandes aglomerados, numa zona central e aprazível.

Numa localidade de província as sapatarias dedicam-se apenas a fazer consertos, isto é, a deitar meias solas, a engraxar, a pregar um salto, a vender um par de palmilhas, a entregar uns atacadores, a coser uma fivela e o mais que é mister.

Em Coimbra – Capital da Cultura – tudo é diferente. Na cidade dos doutores nada melhor do que entrar por alguns instantes nesta sapataria e, enquanto espera que a cola reponha o salto do sapato que não resistiu aos buracos do largo em frente ou à pastilha elástica que o prendeu ao passeio, sempre se delicia com “concertos rápidos” que não deixarão de lhe aliviar a alma.

A Câmara muda de orquestra e a música mantém-se.


Texto e foto enviados para o «DN» pelo amigo Alfredo B. Esperança em 4 mar 2003
(Não publicados por causa da foto)

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte