Cartas para a Imprensa


Os direitos e os tortos

Quando uma pessoa procura um emprego, não pensa só no ordenado que vai receber - faz também contas ao valor de coisas como horário de trabalho, idade de reforma, sistema de saúde, facilidades de alimentação e transportes, etc, que correspondem a dinheiro, mas convertido «em géneros».

Por isso, parece ser uma demonstração de esperteza-saloia o que actualmente está a ser feito pelo Governo: retirar a toda a gente o que chama «privilégios injustificados» sem, no entanto, os trocar pelo dinheiro a que correspondem. De qualquer forma, mesmo que se aceite a definição de «privilégios injustificados» para essas regalias, convém não esquecer que elas foram dadas por governos e governantes que têm partido e nome bem conhecidos - ou será que caíram do céu e ninguém deu por isso?!


Publicado no "Destak" em 15 Janeiro 2007

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte