Cartas para a Imprensa


Não, vírgula!

Em princípio, se eu disser a alguém «Estou apenas a dar um exemplo idiota», isso não terá mal nenhum.

Porém, se eu inserir uma vírgula no fim da frase e disser «Estou apenas a dar um exemplo, idiota», já estou a ser ofensivo.

De facto, as vírgulas podem fazer muita diferença, e é por isso que, na campanha dos que se opõem à despenalização do aborto, o slôgane «Não obrigada» (em vez de «Não, obrigada») revela uma iliteracia que, num assunto desta importância, bem se dispensava...


Publicado no "Destak" em 10 Janeiro 2007

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte