Cartas para a Imprensa


Mistérios de Lisboa

Tem-se falado muito dos 21 radares que a CML está a espalhar pela capital, algo que, segundo em tempos li, custará uns 2,5 milhões de euros. Mas, em princípio, não há nada a opor, pois tudo o que reduza a sinistralidade é bom.

No entanto, como há gente que nunca está satisfeita, têm sido colocadas algumas objecções, tais como:
- A escolha dos locais não corresponde aos de maior sinistralidade;
- a colocação dos aparelhos foi feita sem que fosse informada a PSP;
as multas serão cobradas pela Polícia Municipal, apesar de ela se queixar de não ter efectivos nem sequer para multar os carros mal estacionados;
- fará sentido haver «zonas demarcadas» (do género da genial Tolerância Zero) onde o Código da Estrada tem de ser cumpido?
- etc.

De qualquer forma, atente-se nestas fotos (tiradas em 29 Dez 06).

As imagens são do Campo Grande (lado nascente), um dos locais brindados com esses novos radares. Só que estes dois placards não são a avisar da sua existência; não!, referem-se a uns outros que, supostamente, deviam lá estar.

Pergunta-se, então: onde páram estes «outros»? Alguma vez funcionaram?

Ainda funcionam? Se sim, para que são os novos? Se não, porque continuam a ser anunciados?

E, já agora: como os carros passam lá a velocidades de avião, quantos condutores foram, nos últimos anos, apanhados por estes radares-fantasma?


Publicado no "Público/Local-Lisboa" em 9 Janeiro 2007

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte