Cartas para a Imprensa


Nós, os «totós»

Movimentando-se, por vezes, num meio muito restrito, os famosos e poderosos deste mundo perdem, com frequência, o contacto com a realidade - e foi por isso que a sabedoria popular fez incluir, nas histórias antigas, reis que se disfarçavam para saberem o que o povo pensava; e é porque, hoje em dia, tal artifício é impraticável, que tantas pessoas nossas conhecidas dão mostras de não se aperceberem de como são vistas pelos outros.

Ora, se alguém ainda tinha dúvidas de que os habitantes da «tribo do futebol» são desses que «vivem noutro mundo», aí tem a prova-real, ao vê-los exigir isenção de IRS dos prémios do Mundial precisamente quando são impostos tantos sacrifícios aos portugueses.

Seja como for, por mim, podem isentá-los, pois mais cedo ou mais tarde alguém há-de criar um outro imposto, bastante rentável: o ISR, Imposto Sobre o Ridículo.

(E já que falamos de impostos: porque será que nunca mais se falou do Totonegócio? Será porque o «negócio» já se percebeu qual é... e os «totós» já se sabe quem são?)


Publicado no jornal "metro" em 14 Julho 2006 sem o último parágrafo e integralmente no "Destak" de 26 Julho 2006

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte