Cartas para a Imprensa


O papel deles

Em princípio (e contrariamente ao que, segundo nos ameaçam, irá suceder com o pagamento do selo do carro a partir de 2007), a disponibilização do «Diário da República» exclusivamente na Internet não deverá trazer problemas de maior - pois o público-alvo são pessoas que é suposto utilizarem-na com a mesma naturalidade com que usam um telemóvel ou um telefax. Mas, é claro, não há regra sem excepção:

Segundo o Presidente da Associação Sindical dos Juizes Portugueses (a crer no «DN» do dia 4 p.p.), «a maioria dos tribunais de primeira instância e os superiores continua sem ter acesso» a ela, além de que é preciso não esquecer que «os magistrados mais antigos poderão ter dificuldades com as ferramentas electrónicas».

E o delírio termina com um aviso com cheirinho a reivindicação sindical:

«Neste sentido, a ASJP instou o governo no sentido de saber se os juízes continuarão a receber o D.R. em formato de papel. Trata-se de uma opção prevista no seu estatuto profissional, que não pode ser revogada por decreto-lei».

Pronto! Prometo que nunca mais acuso essas pessoas de estarem na Idade-da-Pedra - é que, vendo bem... ainda nem sequer lá chegaram!


Publicado no "Público" de 12 Julho 2006 e, em versões mais simples, no jornal "metro" e no "DN" do mesmo dia

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte