Cartas para a Imprensa


O pára-quedas do português

Infelizmente, os portugueses não só precisam de ser protegidos uns dos outros como também têm de ser protegidos de si mesmos!

Só assim se compreende que alguém seja multado por não colocar o cinto de segurança ou por ir para a água quando a bandeira vermelha está hasteada na praia.

Estes casos fazem-me lembrar uma velha anedota de caserna, segundo a qual o instrutor de pára-quedismo avisa:

- Atenção, malta! Quem saltar e não abrir o pára-quedas será castigado com a perda do fim-de-semana!


Publicado no "Público-Local" de 7 Junho 2006

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte