Cartas para a Imprensa


O Chico-soldador

Um dia destes, um ministro italiano envergou (e exibiu na TV) uma T-shirt com uma caricatura de Maomé; pudemos ouvir as gargalhadas do público, e ficar a saber que a consequência imediata foi o assalto ao consulado italiano em Benghazi, na Líbia, do qual resultaram 11 mortos.

Decerto o cavalheiro dirá que apenas exerceu o seu direito à liberdade de expressão, embora naquela «versão alargada» que inclui «desafiar, blasfemar e humilhar» o Islão - para usar as palavras do jornal dinamarquês que lançou a moda.

- Se estão ofendidos, recorram aos tribunais, protestem pacificamente! - diz-se por estes lados, fazendo lembrar a história do Chico-Soldador que deixou cair um pingo-de-solda no olho do ajudante:

Quando este, furioso e aos pinotes, lhe chamou todos os nomes, o outro, muito ofendido, retorquiu:

- Também não é preciso reagires assim! Bastava-te dizer: «Ó Chico, se fazes favor vê se tens mais cuidado, porque estás a deixar cair pingos-de-solda no meu olho».


Publicado no jornal "metro" em 21 Fevereiro 2006

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte