Cartas para a Imprensa


Os especialistas

Se fizermos uma pesquisa em «polícias», chegaremos à conclusão que, em Portugal, há tantas e tão variadas que o país mais parece um estado policial.

De facto, desde a Polícia Florestal até à Judiciária (passando pelas da CP, do Metro, a Marítima, a de Segurança Pública, a Municipal, etc...) a sua enumeração não caberia aqui.

Talvez por isso em tempos Carmona Rodrigues nos tenha feito saber que a pouca repressão do estacionamento selvagem não acontece por FALTA de polícias mas sim - pasme-se! - pelo seu EXCESSO! De facto, temos a Divisão de Trânsito da PSP, a Polícia Municipal, a EMEL...

Ora, pelo facto de esta última só poder actuar nas zonas que lhe estão concessionadas, pude assistir, na semana passada, à cena mais idiota que alguma vez pensei ser possível:

À porta de minha casa, um automobilista tinha o seu carro bem estacionado mas sem o pagamento regularizado. Em vista disso, a EMEL bloqueou-o. Até aqui, não há nada a dizer - a verdadeira rábula veio depois:

É que, quando lhe tiraram o bloqueador do carro, o indivíduo chegou à triste conclusão de não podia sair dali devido a uma série de carros estacionados impunemente em segunda fila; e nem mesmo pelo passeio podia passar pois também ele estava atapetado de carros.

O pessoal da EMEL, indiferente a esse drama adicional que já não era da sua competência, foi-se embora, calmamente, ficando o infeliz a lamentar-se para quem o queria ouvir e pudesse consolar:

- Que diabo! Aceito que me multem. Compreendo até que me bloqueiem o carro. Mas agora que não me deixem ir jantar a casa...!!!


Publicado no "Público-Local" em 7 Fevereiro 2006

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal
Página Seguinte