Comentário de última hora

Petróleo barato está fora de questão

Os analistas independentes que estão a intervir nos foruns «online» sobre o impacto das últimas decisões da OPEP desta semana são unânimes: o petróleo barato está fora de questão. O prognóstico de uma estabilização dos preços médios numa faixa entre os 20 e os 25 dólares até final do ano 2000 mantém-se. O crude para entregas em Maio, segundo a Bloomberg, estava cotado no New York Mercantile Exchange (NYMEX) um pouco acima dos 26 dólares por barril e o Brent em Londres em torno dos 25, na altura (30.03.2000) em que este comentário estava a ser redigido. Baixas pontuais poderão ocorrer se alguns países torpedearem as quotas, lançando mais crude à sucapa nos mercados.

O pico do barril de crude parece ter sido atingido em 7 de Março com valores para a West Coast de 32,53 dólares e para o West Texas de 34,13 (ver artigo aqui com evolução das cotações). Os mesmos analistas não descartam a possibilidade de novas erupções de preços deste género por razões táticas da geo-política ou por motivo de guerras.

O próprio arrastamento da reunião da OPEP no princípio desta semana e o equilíbrio político precário atingido revelam uma situação instável, tendo a organização decidido voltar a reunir em Junho. Para Jean Laherrère, um dos especialistas ouvidos, de novo, «a questão de fundo não é tática», e tem sido ocultada pelos políticos. O problema é estrutural e tem a ver com a tomada de consciência da tendência de declínio da produção de petróleo nas duas próximas décadas e do crescimento gradual do peso da OPEP na oferta mundial, a que se referia noutro artigo. Segundo, Ron Swenson, outro especialista, «a questão está a ser desviada para o preço, mas o problema é o da oferta a prazo» e da dificuldade da civilização do petróleo mudar de hábitos.

J.N.R.

Canal Temático
Topo da Página
Página Principal