NODE

Os Designers de Inovação "made in Catalunya"

Num velho edifício da Revolução Industrial catalã, um novo conceito de consultoria de inovação pretende conquistar a Europa.

Jorge Nascimento Rodrigues, editor de www.janelanaweb.com, em Barcelona, Fevereiro
de 2006

Sítio de referência: NODE

Rebaptizou-se no novo século XXI para simbolizar a ideia de "nó", ponto de convergência de conhecimentos multidisciplinares ao serviço do design para clientes inovadores. Criada em 1996 em Barcelona pelo designer e projectista catalão Antóni Flores, a Competitive Design Network International passou a NODE, acompanhada por uma injecção de capital de risco da Nauta Tech em 2004. Com a reviravolta na filosofia de actuação, a NODE é hoje uma das empresas no mundo que se inserem na corrente actual do "design thinking", cujo expoente nos Estados Unidos é a IDEO californiana.

A nova abordagem pretende ser um misto de consultoria estratégica para a inovação com uma intervenção ao longo de todo o processo inovador, desde a co-criação do novo conceito com o cliente até ao seu lançamento e geração de um novo modelo de negócio. Esta abordagem não se limita apenas a produtos (a área tradicional do design industrial), mas abarca inclusive espaços (interiores ou urbanos).

Não admira, por isso, que encontremos na NODE designers, engenheiros, ergonomistas, consultores de estratégia e outros especialistas muito diversos na equipa de 60 pessoas de 10 nacionalidades que trabalha num velho edifício fabril de tijolo recuperado no distrito de Poblenou, o berço da revolução industrial catalã do século XIX, hoje baptizado de 22@. O "Ajuntament"
(Câmara Municipal) de Barcelona está convencido que se trata de uma empresa de vocação global que rapidamente se consolidará internacionalmente, pelo que investiu já este ano (2006) 600 mil euros através da sua capital de risco BCN Emprèn.

Em terreno de híbridos

«Não somos artistas nem designers puros. Não somos, também, consultores de estratégia. Não nos definimos como estúdio criativo, ou fábrica de ideias, nem laboratório de I&D», explica, pela negativa, Juan Eusébio Pujol, 39 anos, um dos investidores da Nauta Tech, e actual administrador-delegado da NODE. Juan exprime-se num português correcto - foi um dos responsáveis pelo lançamento da Optimus e do escritório da consultora Diamond Cluster em Portugal. «Guardo muito boas lembranças desse período», diz Juan, um economista catalão com um MBA no INSEAD, que confessa que um dia gostaria de ser "alcalde" do "ajuntament" de Barcelona.

Neste terreno de conceitos híbridos, não admira que alguns dos produtos mais emblemáticos saídos do trabalho de co-criação da NODE com os clientes sejam um triciclo com carrinho de bebé para uso dos 6 meses aos 5 anos para a Imaginarium ou um carrinho de bebé 3 (cadeira, carrinho e berço portátil) em 1 desenhado para a Zara. Este último ganharia um galardão de prata na área de produtos de consumo em 2005 no prestigiado Industrial Design Excellence Awards, promovido pela Industrial Designers Society of América com o patrocínio da revista Business Week.

Outros produtos inovadores recentes foram a nova máquina de gelados da Cornetto Soft para a Olá (Unilever) e uma máquina de sumos de laranja para a Zumex espanhola. Uma ideia "made in NODE" foi a dupla porta das lojas Imaginarium, em que uma porta distinta foi desenhada para a entrada de crianças.

A NODE fechou 2005 com 5,5 milhões de euros de facturação, um aumento de 30% em relação ao ano anterior, e conta com um portefólio de mais de 1000 projectos para 250 clientes na Europa, incluindo Portugal. No próximo ano (2007), a NODE deverá abrir um escritório em Londres.

Sabor Português
Apesar da alma catalã e das suas 10 nacionalidades na folha de salários, a NODE está hoje carregada de sabor português. Além da experiência portuguesa "inesquecível" do seu CEO actual, a reviravolta na filosofia de consultoria da antiga Competitive Design Network International teve o contributo imprescindível de José Manuel dos Santos, 43 anos, que ingressou na empresa em 2002 e que se viria a radicar em Barcelona em finais de 2003. José Manuel foi em 1997 um dos fundadores da GranDesign, na Marinha Grande, integrada no grupo Vangest. José Manuel trouxe, também, para Barcelona Jimi Borgue Carneiro, 26 anos, um luso-francês que é um dos operacionais «que transforma ideias em conceitos físicos através de desenhos, imagens tridimensionais e manuais».
Para além do sabor português, José Manuel e Juan Pujol trouxeram vários clientes portugueses, de que se destacam a Amorim Industrial Solutions, em que a equipa da NODE colaborou no desenvolvimento de um composto de cortiça designado por "corkrubber", e a Ydreams. Com esta última, a NODE desenvolveu o primeiro Miradouro Virtual europeu, um binóculo com "realidade aumentada", cuja primeira unidade foi instalada no cimo de uma das torres do castelo de Pinhel, no âmbito de um projecto apoiado pelo Instituto Português do Património Arquitectónico.
Página Anterior
Topo da Página
Página Principal