O «puto» modelo da Geração Net

«Não penso empregar-me alguma vez na vida»

Michael Furdyk entrevistado por Jorge Nascimento Rodrigues
(©Um projecto Janela na Web/Ideais & Negócios para o 1ºIdeias & Negócios Start Up
de 10 de Dezembro de 1999)

Michael FurdykMichael Furdyk, hoje com 17 anos, é o adolescente canadiano da geração Net pintada por Don Tapscott provavelmente mais bem sucedido.

Trabalhou no projecto de investigação que daria origem ao livro Growing Up Digital (recensão por Jorge Nascimento Rodrigues aqui) em 1997, tinha apenas 15 anos, e na sequência criou com Albert Lai e Michael Hayman um «site» original MyDesktop (em www.mydesktop.com) que em Maio de 1999 seria vendido à firma Internet.com (www.internet.com) por uma verba milionária, que segundo os rumores teria andado acima de um milhão de dólares (cerca de 190 mil contos ao câmbio da altura).

Com o dinheiro que amealharam já se lançaram noutro projecto - o BuyBuddy.com (www.buybuddy.com), que funciona como assistente na Web para compras informáticas. A firma foi também financiada por capital de risco e já conta com 15 pessoas. Segundo a revista de culto da nova economia, a Business 2.0, é uma das promessas a ter debeixo de olho.

Também criou a NRG Factory, uma «start up» para incubar jovens empreendedores.

Ele garante que não está nos seus planos «alguma vez na vida empregar-se» e dedica-se, agora, empenhadamente a um projecto voluntário - Taking IT Global - de encorajar outros miúdos a tirar partido das oportunidades de empreendedorismo permitidas pela tecnologia com que cresceu.

 As criações na Web de Michael Furdyk 

 O que diz Tapscott sobre Furdyk 

Quando é que começou o seu envolvimento com a Web?

MICHAEL FURDYK - Tudo começou quando um amigo do meu pai me pediu para resolver uma coisa no computador dele. Eu devia ter 12 ou 13 anos e a Web tinha acabado de se comercializar.

Qual foi a reacção dos seus pais a esta sua «queda» para esse, então, ainda estranho mundo?

M.F. - Sempre me apoiaram incrivelmente em tudo o que fiz, e sentem-se muito orgulhosos.

E os seus amigos?

M.F. - Acabaram por ter imensa curiosidade no que eu fazia e acabei por os ajudar a descobrirem também oportunidades nesta área.

Quando é que Don Tapscott lhe surgiu à porta?

M.F. - Eu trabalhei na KidsNRG durante o Verão de 97 e um dos nossos projectos foi criar a página na Web de desenvolvimento do projecto Growing Up Digital (www.growingupdigital.com). Entretanto ajudei a criar um «site» de informação sobre computadores, o MyDesktop (www.mydesktop.com), também nesse ano. Acabámos por o vender em Maio deste ano (1999) a uma empresa cotada, a Internet.com, por uma verba nunca revelada, mas que os rumores dizem ter sido superior a 1 milhão de dólares americanos (risos).

Quais são os seus projectos actuais?

M.F. - Estou a trabalhar em duas coisas. Por um lado, no desenvolvimento de BuyBuddy (www.buybuddy.com), um serviço para apoio a compras de produtos de informática, e por outro no projecto Taking IT Global, uma iniciativa divertidissima para encorajar outra gente jovem a criar oportunidades para si própria a partir da tecnologia actual. Buy Buddy é uma espécie de assistente pessoal independente «on line», uma solução intuitiva para comprar produtos de base tecnológica na Web. Com este assistente nós procuramos os melhores produtos e soluções para os consumidores «ligados». Oferecemos «expertise» e preço em tempo real para mais de 6000 produtos de hardware, software e periféricos. É muito útil sobretudo para principiantes e clientes sazonais, ajudando-os a tomar decisões informadas, oferecendo «reviews» dos produtos, comparações isentas e apoio em tempo real.

E quanto ao Taking IT Global?

M.F. - É um projecto de voluntariado. Viajarei pelo mundo, para vários países, encontrando-me com gente gira, e ajudando-a a descobrir as oportunidades criadas pela tecnologia actual. De início, o foco será em países que têm uma infraestrutura para a Internet mas que não têm recursos financeiros para difundir a tecnologia junto da comunidade. Eventualmente, o nosso objectivo, depois, poderá ser trazer a tecnologia e a infraestrutura a locais onde não existe. Mas, para começar, é por onde já há.

O que é que pensa da sua carreira no futuro?

M.F. - Carreira? Sinceramente não passa pelos meus planos alguma vez me empregar no sentido tradicional do termo.

Página Anterior
Canal Temático
Topo da Página
Página Principal