First Tuesday em primeira noite de núpcias

Ruben Eiras na pela do Ardina (sem pinta) quase incógnito na Kapital, em Lisboa

Versão mais reduzida publicada no Expresso de 8/04/2000

Lisboa, ao entardecer, na Discoteca Kapital. É a primeira terça-feira do mês de Abril, o dia inaugural do «First Tuesday» em Portugal, evento onde se realizam muitos dos «casamentos» entre empreendedores da economia digital e detentores de capital.

Na entrada da «catedral» da noite lisboeta, como habitualmente, está lá o porteiro, com o seu olhar inquisidor, mas desta feita é menos corpulento e portador de uma aparência mais simpática. Em vez das meninas do bengaleiro, no hall da discoteca encontra-se instalado um balcão onde outras meninas - vestidas com uma «t-shirt» branca, com os dizeres «Clube First Tuesday», e calças ganga azuis, de diferentes tons - distribuem cartões de lapela, organizados em três grupos de pintas a cores: verde para os empreendedores, vermelho para os investidores e amarelo para os consultores, advogados e jornalistas.

Com o cartão de lapela ao peito, subimos as escadas para o primeiro andar e outras duas meninas «First Tuesday» oferecem-nos o programa da primeira noite «digital» portuguesa. Até às oito horas, sessão livre no bar para contactos. Seguidamente, quatro apresentações de empresas, sendo uma destas um caso de sucesso e as outras três as que procuram financiamento. O evento está previsto para terminar por volta das dez e meia da noite.

Chegamos à zona do bar, e deparamos com o ambiente de negócios da nova economia: copos a tilintar, música ambiente futurista, risos, infernal troca de contactos entre «verdes» e «vermelhos». Estavam presentes perto de 500 pessoas, cujas idades variavam entre os 20 e os 40 anos. A vestimenta variava entre o tradicional «fato e gravata» e o estilo informal dos «yetties» - os empreendedores da nova economia -, chinos e camisa de marca conhecida.

Marc Cunha, inglês, de pinta verde, e Andrea Alunni, italiano, de pinta vermelha, (na foto) foram dois dos estreantes do «First Tuesday» lisboeta. Marc Cunha instalou-se no nosso país recentemente e é presidente da «Diga-me.net», uma empresa que desenvolve software de reconhecimento de voz para operadores de rede. Andrea Alunni é director associado da Nomura International, empresa de capital de risco, que focaliza os seus investimentos em tecnologias para a Internet móvel e aplicações Wap. «Isto é fantástico e devia ter chegado mais cedo a Portugal», salienta Marc Cunha. «Há muitos jovens portugueses que não têm ajuda para realizar os seus sonhos e aqui podem encontrá-la. Eu já consegui três 'vermelhos'», afirma visivelmente feliz o jovem empreendedor. Andrea Alunni participa em todos os «First Tuesday» e esta foi a primeira vez que vem a Portugal. «Esta é uma boa forma de 'quebrar o gelo' entre as pessoas. Contudo, era bom que se distribuísse uma lista com os participantes para sabermos de antemão a quem nos dirigir, e assim tornar os contactos mais eficazes», sugere o investidor.

Marie-Louise Nijsing, holandesa, veio abrir um escritório da Cofisem, empresa francesa que vende bases de dados de empresas cotadas no mercado accionista de 17 países europeus e aproveitou o evento para fazer contactos. «É uma oportunidade única para conhecer o que está acontecer no mercado português», refere.

Manuel Freitas, da Soane.com, era outro dos investidores presentes. «Isto está a correr muito bem para a primeira vez. Mas ainda há muita gente que tem que se habituar a tirar a gravata e deitar fora a formalidade da velha economia», aponta. Rui Costa Costa Santos, o «pai» da «First Tuesday» portuguesa, também partilha da mesma opinião: «Num clube livre de profissionais da nova economia, a comunicação informal é a norma. Eu já tirei a gravata e agora falta que os resto dos portugueses façam o mesmo».

Já são oito horas e começam as apresentações. Descemos as escadas, e dirigimo-nos para o espaço onde costuma ser a pista de dança, agora transformado em auditório. O caso de sucesso apresentado é o da Pararede e seguem-se os que procuram capital, a Megamédia, a Véu & Grinalda e a BuscaGratis.com.br.

Os contactos foram proveitosos para Sérgio Carvalho, CEO da Megamédia, especializada em multimédia interactiva. «O "networking" ou seja, os encontros informais entre actores da Economia Digital, e o "match making" que acontece nestes eventos é uma das características fundamentais do sucesso do Silicon Valley. Desta forma, pessoas com interesses cruzados conseguem conhecer-se e fazer negócios de forma bastante rápida», comenta o empreendedor.

O evento ultrapassou as expectativas de Fernanda Vasconcelos, directora executiva da Véu & Grinalda, empresa que organiza casamentos com o apoio da Internet. «Ainda existem muitas 'gravatas', mas nunca pensei que a nossa iniciativa atraísse tantas pessoas», sublinha.

Miguel Monteiro, da BuscaGratis.com.br, um directório de sites de prémios e promoções, conseguiu estabelecer contacto com duas empresas de consultoria e três de capital de risco. «O 'First Tuesday' é um ambiente espectacular para fazer negócios e criar ideias, dada a grande informalidade. Trabalhamos e divertimo-nos ao mesmo tempo. Não podia ser melhor», remata.

Página Anterior
Canal Temático
Topo da Página
Página Principal