O primeiro directório de onde comprar na Web em português

Jovem finalista de informática de Lisboa lança eShop

Logotipo eShop

Provavelmente a situação já aconteceu ao leitor mais afoito em se aventurar como consumidor no comércio electrónico: pretende comprar um dado produto, pesquisa na Web e sai-lhe um lençol de páginas para consultar, ou, então, fica limitado à visita a um ou outro 'shopping' virtual que lhe ficou de memória em virtude de uma campanha de publicidade maciça, de um artigo de jornal que casualmente recortou ou de um «link» que alguém lhe indicou e que correu a colocar na sua já longa lista de 'favoritos' no seu «browser».

Pois bem, para nos resolver este problema, um jovem lisboeta finalista de informática criou em casa o primeiro directório português de lojas existentes no ciberespaço, que pode ser encontrado em www.eshop.pt ou, num estilo mais terra-a-terra, em www.ondecomprar.pt. O directório já conta com 20 categorias.

«Já existem muitos motores de busca e ultimamente até fomos invadidos pela febre dos portais. Mas nem sabe a dor de cabeça que é para encontrar as lojas virtuais. Se escrever uma palavra chave num dos motores de busca portugueses irá obter dezenas ou mesmo centenas de ´links' para páginas que até nada vendem e até encontrar o que se quer perde-se muito tempo», explica Marco António Poças, de 22 anos, o responsável pela criação deste novo serviço na Web, que está a concluir o Curso de Informática na Universidade Autónoma de Lisboa, e que fomos apanhar em casa no meio de época de exames.

Ele é um viciado em 'surfar' na Web, desde que jogava ao gato e ao rato com os vigilantes no Instituto Superior Técnico - sempre atentos a alunos de fora 'invadindo' as instalações - onde começou a relacionar-se com os terminais e a experimentar as potencialidades da Internet desde 1994. Aproveita o tempo em que não está «a estudar ou a namorar» para ir coleccionando 'links' para o directório. Mas fá-lo seguindo regras de qualidade: «Eu verifico em profundidade todos os ´sites´ para ver se realmente permitem comércio electrónico, e como decidi incluir lojas estrangeiras - pois a Internet não tem fronteiras! - faço sempre uma simulação de compra para verificar se enviam os produtos para Portugal. Se não o permitem, não as incluo», frisa o nosso interlocutor.

Ele encara este serviço que está a alimentar como um ponto de referência, mesmo que o utilizador não consuma o acto de comprar. Diz Marco Poças: «Quero que as pessoas utilizem o eShop frequentemente, quanto mais não seja para 'benchmark', mesmo que não queiram comprar nada pela Internet». Para apoiar o utilizador nas compras no estrangeiro, o Marco resolveu disponibilizar um conversor de moeda.

Para breve garante mais um serviço em que o utilizador vai ser o próprio fornecedor interessado. «Estou a finalizar o @Anuncios onde as pessoas poderão colocar à venda o que pretendam. Existem poucos 'sites' portugueses que têm anúncios classificados deste tipo e dos que eu vi em nenhum se pode adicionar uma imagem junto com a mensagem», refere, para logo acrescentar: «No eShop vai poder colocar a imagem do que quer vender, mas elas vão ser gravadas previamente num ficheiro no servidor para eu as filtrar depois, pois já estou a ver uns quantos engraçadinhos a colocarem imagens pouco ortodoxas».

O que começou por ser um 'hobby' de amador «nos tempos livres de estudar ou namorar» está a exigir naturalmente ao Marco Poças um cada vez maior grau de profissionalismo. Apontamento final: se joga no totoloto, em www.eshop.pt pode subscrever gratuitamente um serviço em que receberá à terça feira por correio electrónico os resultados do Joker e dos dois concursos.

Página Anterior
Topo da Página
Página Principal